CríticasRecordTVSBT

Opinião: SBT e Record TV alteram programação e perdem público

Como diz o ditado…

“Em time que está ganhando não se mexe”. Lógico que não se deve levar ao pé da letra esse ditado. Mas em se tratando de televisão, principalmente a aberta, é preciso ter cautela para mudar. Ao que parece, SBT e Record TV não estão levando o ditado a sério. Foi assim com as mudanças drásticas nas programações das duas emissoras nos últimos tempos.

Mais recentemente, na última quinta, 15 de junho, o canal de Silvio Santos tirou do ar o “Chaves”, que já conquistava bons números, conseguindo inclusive encostar em sua maior concorrente no horário, “Hora da Venenosa”, quadro do vespertino “Balanço Geral” da Record.

Nos primeiros dois dias a audiência não correspondeu e apresentou números iguais ou inferiores ao seriado mais famoso da TV. Na quinta, 15, foram 5,8 pontos (dados consolidados) e na sexta, 16, foram 4,1 pontos de média (dados preliminares). Na semana anterior, os índices de Chaves foram 5,8 pontos de média na quinta e 7,6 pontos na sexta.

Do outro lado não é diferente

Record TV, por falta de opção, passou a reprisar no sábado dois de seus realities, que são exibidos durante a semana. Power Couple, exibido antes do jornalístico Cidade Alerta vem atingindo médias na casa de 5 pontos e perdendo constantemente para o Programa Raul Gil no horário.

Mais tarde, a emissora da Barra Funda colocou no ar a reprise de Dancing Brasil, que na semana atinge a terceira posição na audiência. No sábado não é diferente. Ibope na casa de 5 pontos, também terceiro lugar.

Para completar a desgraça, Record TV tirou o Marcos Mion dos sábados à noite. A atração era vice-líder de audiência há anos e foi transferida para as sextas, também à noite. O resultado foi a perda de audiência e consequente derrota para o SBT.

Se não fosse pouco, a mudança de Mion para as sextas diminuiu a audiência da Record no período noturno dos sábados. Já a reprise do Dancing Brasil alterou e muito a audiência do Programa da Sabrina, que perdeu a vice-liderança para os realities do SBT.

Quem são os responsáveis?

No SBT quem manda e desmanda é Silvio Santos. Ele é dono e provoca as mais loucas mudanças. Algumas dão certo, outras não.

Na Record a coisa sempre pende para o pior. Poucas alterações na programação, nos últimos tempos surtiram os resultados desejados.

Fidelidade

O telespectador é fiel. Essa é a marca da TV aberta. Não dá para brincar em tempos de crise. E parece que alguns executivos de emissoras insistem em cometer os mesmos erros, colocando em jogo bons trabalhos realizados.

A ida de Marcos Mion para a sexta foi um grande erro da Record TV, visto que o programa não tem característica desse dia da semana. Sábado é a cara da atração, gostando ou não.

Colocar reprises de realities nos fins de semana é característica bem presente na TV paga. Não combina com TV aberta. Band e Rede TV! fazem isso e os números são extremamente baixos.

Mudar constantemente programação, como faz o SBT, também é perigoso, pois há troca de público, que pode desestruturar toda a audiência do horário.

Em se tratando de Silvio Santos, as coisas não vão mudar. Mas a Record TV pode repensar algumas atitudes. Voltar atrás as vezes pode render bons frutos para a emissora, pelo menos no quesito audiência e faturamento.

 

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu autor, as quais não necessariamente refletem as da CTV Audiência.

 

Guinho César é jornalista. Fala sobre televisão há muitos anos em seus blogs pessoais. Possui um canal no YouTube.

Já entrevistou grandes nomes do jornalismo e comunicação do rádio e da TV como Milton Neves, Rafael Machado, Heródoto Barbeiro, Gilberto Barros, Clébio Cavagnolle, Haisem Abaki, Roberto Nonato, José Armando Vannucci e muitos outros. Hoje, edita sua coluna “Papo Rápido” no CTV Audiência, trazendo análises sobre televisão e entrevistas aos leitores.

Comente abaixo:

Artigos relacionados